Pinot noir da Patagônia

20120319-170350.jpg

Por mais que a pinot noir nao seja uma queridinha minha, verdade seja dita, ela normalmente acaba sendo uma escolha mais versátil entre os tintos.

O vinho: Reserva Del Fin Del Mundo Pinot Noir 2009

A Patagônia é uma região que tem se destacado pela produção de bons pinot. O clima mais frio acolheu a cepa de complexo manejo e levou a tão isolada região argentina a entrar nas referências da casta.

Este exemplar me chocou pelo álcool. No nariz e em boca. Ao verificar o rotulo entendi, mas me espantei com os 14 graus. Aromas de frutas vermelhas maduras, faltando um pouco de frescor. Em boca taninos domados, boa persistência mas o desequilíbrio do álcool sempre a tona. É incrível como numa casta tão delicada esse álcool a mais sempre se mostra, nao tem jeito. Teria a safra de 2009 sofrido muito com o calor? Ou é realmente característica da região? Vou tentar degustar novas safras.

É um vinho razoável pra harmonizar com comida sem grande complexidade e também quando trata-se de escolher vinho para um grupo heterogêneo, onde um exemplar de pinot parece agradar a “gregos e troianos”. Embora seja importante ressaltar que este ainda está bem distante da tipicidade da cepa em sua terra natal, a borgonha.

*R$ 60 www.wine.com.br

ARGENTINA

Uma ideia sobre “Pinot noir da Patagônia

  1. Pingback: Pinot noir Californiano | IN VINO VERITAS!

Comentários encerrados.