Viu Manent Reserva Chardonnay 2010

O calor senegalês que anda fazendo neste trópico que habito relembra todo o tempo que o verão está aí, e claro, desfavorece a escolha dos tintos.

O rotulo de hoje foi escolhido pra não errar. A gente sempre sabe que os vinhos da Viu Manent são boas pedidas. Como ainda não tinha experimentado o chardonnay considerei boa escolha para um almoço de fim de tarde e tendo em vista as “compactas” cartas de vinhos de restaurantes.

ADENDO. Preciso fazer um comentário OFF a respeito do restaurante: Risoteria Terra Brasil, em Salvador/Bahia. Lugar: agradável, clima de bistrô. Atendimento: bom, sem frescuras. Serviço: muito bom, mesa, taças, etc. Comida: muito boa. Preço: caro, mas dentro dos padrões para lugares similares. FRUSTRAÇÃO: as porções são muito pequenas. Donos de restaurantes têm que entender o princípio daquilo que vendem e principalmente adequar aquilo que é vendido ao preço que praticam. Sabemos que risoto na Itália é sinônimo de prato único (fora os antepastos) e que por isso devem servir bem. Eu sinceramente não entendo como um restaurante que fez tudo correto (o mais difícil, eu acho) erra em algo tão primário. As porções servidas não atenderiam os homens da mesa, ou seja…

Mas voltemos ao vinho! Trata-se de um Chardonnay com participação de Viognier no corte (4%). Vinho corretíssimo. Vivo, aromático. Banana sobressai, mas com toques dos cítricos e melão. Na boca tem inclusive um toque amanteigado que nos fez pensar em passagem por madeira, mas de fato não há estagio em barrica. Retrogosto mineral e acidez na medida, mostrando que foi ótima escolha para acompanhar os risotos de camarão experimentados: camarão com gengibre e camarão com nozes e gorgonzola. O vinho acompanhou bem as brusquetas de entrada, os tomates não estavam ácidos. Já a harmonização com o risoto de camarão com gengibre foi perfeita, vinho e prato em paridade na harmonização.

Esse chardonnay se mostra elegante para acompanhar a altura nossos pratos (e o calor!) de verão, não nos privando do prazer de degustar um bom vinho mesmo com o termômetro acima dos 30°C. 🙂

*R$ 40

CHILE

Doña Paula Selección de Bodega – Chardonnay 2006

Vou começar as avaliações do blog com um exemplar a altura do que espero deste espaço. Modéstia mode off 😀

Surpreendente. Só isso pra definir esse chardonnay argentino com passagem de 12 meses em barris de carvalho.

Sem dúvida um dos melhores brancos que já degustei. E olhe que o páreo da prova não foi nada fácil: foi degustado numa bateria de chardonnays que incluía, além de um brasileiro famoso, um Chablis. Nossos hermanos ganharam fácil, a léguas de distância. Este vinho realmente surpreendeu a todos.

Muito aromático, mas sem ser enjoado, aromas clássicos da casta: banana, abacaxi e o toque de madeira bem elegante na forma de baunilha. Na boca acidez perfeita e aí o toque principal da madeira: um retrogosto amanteigado maravilhoso.

Um ótimo branco, daqueles que “permitiria” guarda. “Permitiria” porque depois de degustá-lo passei tempos tentando encontrar algumas garrafas na internet, em vão. Safra esgotada. Agora é esperar por novas safras deste vinho, que sendo um exemplar TOP da vinícola, não é vinificado todos os anos, somente nas melhores colheitas, e de vinhas com mais de 30 anos de idade.

* Preço: R$ 134

ARGENTINA