Mais um alentejano: Reserva do Comendador 2007

IMG_4227

Os vinhos alentejanos tem conquistado espaço significativo no mercado, deixando pra trás algumas regiões até mais famosas de Portugal. A região é grande e muito diversificada em termos de clima, distribuição geográfica e castas. É realmente difícil estabelecer um padrão do que esperar de um vinho alentejano.

No Alentejo a alicante bouschet participa em proporção importante em alguns dos melhores tintos da região e em nenhum outro lugar do mundo esta cepa tem tanto prestígio. Saiu da França, onde é lembrada pelos cortes e para aumentar carga de cor, para revelar-se no Alentejo. No vinho de hoje ela entra no corte juntamente com trincadeira e aragonês, também muito presentes no Alentejo.

O vinho: Reserva do Comendador 2007

Vinho em taça apresenta um granada com bastante profundidade de cor. Muito aromático, frutas vermelhas e negras maduras, geléia, e muitas notas empireumaticas. Em prova bastante elegante, acidez balanceada com taninos finos, untuoso, e retrogosto persistente com notas frutadas e de madeira. O vinho tem estágio de 18 meses em carvalho francês, apresentou depósito de sedimentos no ombro da garrafa e com os 14,5º de álcool em momento algum sobrou em prova, mesmo tendo sido servido à temperatura ambiente.

Trata-se de ótimo exemplar alentejano, que eu diria ter um estilo mais “novo mundo”, com a presença marcante do carvalho novo emprestando, alem do arredondamento dos taninos, carga aromática e untuosidade.

O vinho foi degustado às cegas e somente depois da prova, e ter atribuído nota, descobri ser um vinho assinado por Paulo Laureano. Realmente, mais que merecidas 4 taças e, a certeza da minha “previsibilidade”. 🙂

* US 70 em Luanda/Angola (não encontrei referencia de preço no Brasil)

PORTUGAL

Comida portuguesa, vinho português!

20120531-214331.jpg

Coitado do blog, mais uma vez abandonado por conta de mudanças, e que mudanças! Me vi nas últimas semanas completamente impossibilitada de postar, vivendo de malas e de estresse pré-embarque.

Mas… voltemos ao foco, que hoje é Paulo Laureano. Produtor, agrônomo e enólogo português de renome, tem os vinhos alentejanos que eu chamaria de não somente corretos mas muito bons e com um excelente custo benefício. Na última semana ele acabou sendo unanimidade na minha taça.

No almoço mais que especial do domingo, o da linha premium ganhou fácil de um bordeaux bem mais caro, esse postarei depois. Já na terça estive no Rio, numa passagem rápida, para um almoço no Adegão Português e a pedida foi novamente um Paulo Laureano. Desta vez foi o vinho de entrada da vinícola, o clássico em versão 1/4 de garrafa pois infelizmente não fui acompanhada no vinho (ninguém merece essa coca-cola aparecendo na foto). A comida estava estupenda, e foi para lembrar as boas últimas aulas de enogastronomia de Santanita que pedi um bacalhau a Brás para acompanhar.

O vinho: Paulo Laureano Clássico 2009

Vinho elaborado com as castas típicas portuguesas: aragonês (a tempranillo espanhola), trincadeira e alfrocheiro. Bastante fácil e aromático, frutas vermelhas e negras e um tanto de especiaria. Bem elaborado, taninos finos, macios, corpo ligeiro, boa acidez. Daqueles vinhos certos pra acompanhar refeições sem medo de errar, funcionou muito bem não só com o prato principal como também com os bolinhos de bacalhau incríveis servidos de entrada.

Apesar do almoço extremamente rápido para tanta conversa e tantos assuntos em pauta, o vinho fez o seu papel. Só espero que da próxima vez, como de costume, ele volte a tomar o lugar da coca-cola no outro canto da mesa. 😉

* R$ 26, www.adegacuritibana.com.br

PORTUGAL